teste

Graduações
a Distância
Informática
na Educação
Cursos
a Distância
Capítulos e
livros publicados
Artigos
Publicados
Legislação
em EAD
Referenciais de
Qualidade em EAD
Currículo
Lattes

12 de março de 2014

14 coisas que estão obsoletas nas escolas do século 21



Dizer que tem sido sempre assim, não conta como uma justificativa legítima para que continue desse jeito. Professores e administradores de todo o mundo estão fazendo coisas incríveis, mas algumas das coisas que nós ainda estamos fazendo, apesar de todas as novas soluções, pesquisas e ideias lá fora, é, no mínimo, inacreditável.

 Eu não estou dizendo que devemos apenas melhorar o sistema atual... devemos transformá-lo em algo mais.

Abaixo há uma lista de 14 coisas que são obsoletas nas escolas do século 21 e a esperança é de que inspire discussões acaloradas sobre o futuro da educação.


1. Salas de Informática

A ideia de levar toda uma classe para uma sala de informática com equipamentos obsoletos, uma vez por semana, para praticar suas habilidades de digitação e enviá-los de volta para a sala de aula 40 minutos depois, é obsoleta.

Computadores ou tecnologia não devem ser apenas um assunto específico, isso não é mais suficiente, mas sim deveria ser parte integrante de todos os sujeitos e construído no currículo.




2. Salas de aula isoladas

As salas de aula podem ser isoladas de duas formas: Uma onde os pais, professores ou convidados não são bem-vindos, porque a porta e cortinas estão sempre fechadas; a outra maneira é estar isolado de todo o conhecimento fora das quatro paredes. Por exemplo a partir da Internet, vídeos, blogs, sites e visitas de autores ou cientistas através do Skype, para citar alguns.

Tony Wagner, o autor do "Global Achievement Gap" diz: "O isolamento é o inimigo da melhoria". A sala de aula deve ser aberta, os professores devem ser capazes de entrar e aprender uns com os outros, os pais devem visitar muitas vezes. Salas de aula isoladas são, portanto, obsoletas.


3. Escolas que não têm Wi-Fi 



As escolas que não têm uma rede Wi-Fi robusta para funcionários e alunos não estão apenas perdendo uma grande mudança para o ensino e aprendizagem, mas roubando dos alunos do acesso ao conhecimento e também limitando suas chances de aprender sobre a internet e usar a tecnologia de forma segura.

Escolas do século 21 permitem que os alunos e funcionários aprendam em qualquer lugar, a qualquer hora e as escolas que não permitem estão obsoletas.
 







4.  Proibir celulares e tablets

Tomar telefones e tablets de estudantes, em vez de usá-los para melhorar a aprendizagem, é obsoleto. Devemos celebrar as tecnologias que os alunos trazem e usá-los como ferramentas de aprendizagem.

Celular já não é apenas o dispositivo que envia texto e faz chamadas de telefone... quando eles eram apenas isso, então proibi-los era OK. Hoje, há mais poder de processamento no telefone celular, do que a NASA teve acesso quando eles mandaram um homem à Lua em 1969. No entanto, a maioria dos alunos sabe como usar esses dispositivos para redes sociais e jogos.

Hoje você pode editar um filme, fazer um programa de rádio, tirar fotos, fazer cartazes, sites, blog, twittar com um personagem de um livro. Devemos mostrar aos nossos alunos as possibilidades de aprendizagem e transformar essas distrações em oportunidades de aprendizagem que vão muito fora da sala de aula.


5. Diretor técnico com um acesso de administrador

Ter uma pessoa responsável pelo sistema de informática trabalhando a partir de um escritório, sem janelas, no porão da escola, cercado por computadores antigos, atualizando os programas e dizendo ao pessoal quais ferramentas de tecnologia que podem ou não usar... está obsoleto.

Hoje precisamos de coordenadores de tecnologias que saibam o que os professores e os alunos precisam para terem êxito e que resolvam problemas em vez de criar barreiras. Alguém que ajude as pessoas a ajudarem a si mesmos, dando-lhes responsabilidades e encontrando maneiras melhores e mais baratas de fazer as coisas.
 








6.  Os professores que não compartilham o que eles fazem 



Os professores que trabalham em silêncio e que não discutem ideias com as pessoas ao redor do mundo estão obsoletos. Os professores não estão mais trabalhando localmente, mas globalmente e é nosso trabalho compartilhar o que vemos e fazemos e o que os outros estão fazendo. Se um professor não é mais um aprendiz, então ele não deveria estar ensinando outras pessoas.

Devemos todos twittar, blogar e compartilhar o que funciona e o que não funciona, obter e dar parecer dos colegas de trabalho sobre todo o mundo. Devemos estar constantemente melhorando nosso ofício, porque o desenvolvimento profissional não é uma oficina de três horas, uma vez por mês, mas um processo ao longo da vida.

"Nós não aprendemos com a experiência... aprendemos refletindo com a experiência."- John Dewey


7.  As escolas que não têm Facebook ou Twitter

Instituições de ensino que pensam que colocar uma notícia no site da escola a cada duas semanas e publicar um boletim mensal é suficiente para manter os pais informados estão obsoletas.

A escola deve ter uma página no Facebook, notícias de ações e informações para os pais, ter uma conta no Twitter e sua própria hashtag, executar seu próprio canal de TV online onde os alunos filmem, editem e publiquem coisas sobre eventos da escola.

Se você não contar a sua história, alguém o fará.


8.  Bar da escola sem comida saudável

Cantinas escolares que se parecem e funcionam quase como restaurantes de fast food, onde os funcionários e estudantes compram  refeições baratas, rápidas e sem serem saudáveis também ​​estão  obsoletas. As crianças devem colocar a comida no seu próprio prato e até mesmo limpar depois, porque isso é uma parte de crescer e aprender sobre responsabilidade. O que as escolas do século 21 deveriam estar fazendo bem é plantar suas próprias frutas e legumes, onde os alunos aprendem sobre a natureza. A criação de uma horta para ajudar na alimentação dos alunos seria ideal, mas se isso não é possível (por exemplo, em grandes escolas da cidade), outra opção é criar um windowfarm em algumas das janelas da escola.



9. Começar a escola às 8 horas para os adolescentes  


Pesquisam mostraram repetidas vezes que os adolescentes fazem e sentem-se melhor nas escolas onde as aulas começam mais tarde. Muitas vezes, as necessidades de pais e administradores ficam no caminho dessa mudança. Pesquisas (The Journal of Developmental & Behavioral Pediatrics) apontaram que atrasar o início da aula uns 50 minutos tem um efeito positivo tanto na aprendizagem como nas  atividades depois da escola. As escolas que não fazem isso estão obsoletas.

Começar mais tarde é fácil e os professores podem usar o tempo extra na parte da manhã para preparar aula.


 10. Comprar pôster, website  e panfleto para a escola


Quando a sua escola precisa de um cartaz, panfleto ou um novo site não deve comprar o serviço de algum outro lugar (apesar de que às vezes pode ser o caso) e sim permitir que os alunos façam. Nas melhores escolas do futuro, eles serão os únicos a fazê-lo como um projeto real que tem sentido e como um projeto colaborativo em linguagem e arte.... usando a tecnologia.



11. Bibliotecas tradicionais

 As bibliotecas que contêm apenas livros e mesas estão obsoletas.

A biblioteca do século 21 deve estar no centro da escola e num lugar onde alunos e funcionários possam entrar para relaxar, ler, ter acesso à dispositivos poderosos,
editar vídeos, música, entre outros. Este espaço de aprendizagem do século 21 deve dar às pessoas uma chance igual de usar esses dispositivos e acesso à informação. Caso contrário, essas bibliotecas vão se transformar em museus onde as pessoas vão olhar para todas as coisas que costumavam usar.


12. Todos os alunos recebem o mesmo

 Colocar as crianças na mesma classe, porque eles nascem no mesmo ano é obsoleto. Os sistemas escolares foram originalmente criados para atender às necessidades do industrialismo. Naquela época, precisávamos de pessoas para trabalhar nas fábricas, conforme era boa e ninguém foi feito para se destacar ou ser diferente nesse ambiente. Isso não atende as nossas necessidades de hoje, e muito menos o futuro, mas muitas escolas ainda estão configuradas como as fábricas há 100 anos.  

Devemos aumentar as escolhas, dar às crianças apoio para crescer no que lhes interessa e não apenas dar-lhes mais atenção nas coisas em que não se saem tão bem. Na maioria das escolas, se você é bom em Arte, mas ruim em Alemão, você terá aulas de Alemão para obter a paridade com os outros alunos, em vez de excelência em Arte... Tudo igual, tudo a mesma coisa!

A educação deve ser individualizada, os alunos devem trabalhar em grupos, independentemente da idade e sua educação deve ser construída em torno de suas necessidades.


13.   Desenvolvimento profissional - capacitação igual para todos

 Uma escola que apenas envia todo o pessoal para uma capacitação uma vez por mês, onde todos recebem o mesmo está obsoleta. O desenvolvimento profissional é geralmente de cima para baixo em vez de baixo para cima, onde todos conseguiriam o que querem e precisam. Isso porque dar a todos (incluindo estudantes) o que eles precisam e querem leva tempo e dinheiro.

Com coisas como Twitter, Pinterest, artigos online, livros, vídeos, cooperação e trocas, funcionários podem personalizar o seu desenvolvimento profissional.


14.  Testes padronizados para medir a qualidade da educação

Testes padronizados para avaliar se as crianças aprenderam ou não é a coisa mais estúpida que podemos fazer e nos dá uma visão superficial do aprendizado. Os resultados, embora moderadamente importantes, medem apenas uma pequena parte do que queremos que os nossos alunos aprendam e, concentrando-se sobre esses exames, estamos estreitando o currículo. A pesquisa de Alfie Kohn apontou ainda uma correlação estatisticamente significativa entre notas altas em testes padronizados e uma abordagem superficial à aprendizagem.

O mundo de hoje e as necessidades da sociedade são completamente diferentes do que costumavam ser. Nós não estamos apenas formando pessoas para trabalhar localmente, mas globalmente. Com teste padronizado, como o PISA, estamos estreitando o currículo, e todos os países da OCDE estão ensinando a mesma coisa. Por isso todos nós produzimos o mesmo tipo de trabalho, trabalhadores desatualizados, para trabalhar em fábricas. Pessoas que podem cumprir, se comportam e são como todo mundo. 

Andrea Schleicher (2010) disse: "As escolas têm de preparar os estudantes para empregos que ainda não foram criados, para as tecnologias que ainda não foram inventadas e para os problemas que não sabemos que vão surgir."

Educação padronizada pode ter sido a resposta uma vez, mas dizer que está obsoleta é dizer o mínimo e é apenas uma maneira de tentar reparar o sistema quebrado. Os resultados desses testes são, de acordo com Daniel Pink (2005), uma contradição direta com as habilidades que precisamos hoje. Essas habilidades são, por exemplo, design, história, empatia, jogo e significado.

Devemos ter a solução de problemas reais, fazendo perguntas que são importantes, em vez de lembrar e repetir fatos. As realizações dos adultos estão ligadas muito mais fortemente a sua criatividade do que ao QI e deveríamos estar comemorando conhecimento e interesse diversos em vez de tentar padronizar conhecimentos e habilidades.

Eu me pergunto se as escolas finalmente est
ão mudando sua direção, se desenharam um novo teste que não mediria Matemática,  Ciência e a Literatura, mas a empatia, pensamento criativo e habilidades de comunicação... Talvez isso seja tudo o que precisamos.

Ingvi Hrannar Ómarsson